Parceria morador e síndico: 7 formas simples de tornar o condomínio ecológico

Clique para ampliarMuitas pessoas têm avaliado seu impacto ambiental e tomado medidas para diminuí-lo, tanto que os condomínios com soluções ecológicas têm sido mais procurados. Mas você não precisa se mudar para um condomínio ecológico. É possível criá-lo no prédio que você mora agora. Só é preciso contar com a parceria morador e síndico e tomar pequenas ações.

Neste artigo, conheça 7 formas simples de tornar o condomínio ecológico. Acompanhe!

 

O que são condomínios ecológicos?

Condomínios ecológicos – ou ecovilas –são uma opção para pessoas determinadas a viver num lugar que não comprometa a natureza. Até mesmo os materiais usados na construção são ecológicos e há uma série de outras soluções e práticas sustentáveis.

As ecovilas não custam mais caro que os prédios comuns e ainda oferecem mais infraestrutura comunitária. Aliás, esse é o diferencial: os moradores interagem mais um com os outros e têm mais responsabilidade coletiva.

Assim, muitos benefícios são encontrados nessas comunidades:

  • Mais contato com a natureza.
  • Maior engajamento dos condôminos.
  • Melhora da convivência.
  • Redução dos conflitos.
  • Economia de despesas.
  • Maior valorização do patrimônio.

Podemos dizer que tais condomínios promovem maior sustentabilidade econômica,  social e ambiental.


 

7 formas simples de tornar o condomínio ecológico

Em um condomínio ecológico, reutilizar água da chuva, plantar, usar energias renováveis e materiais ecológicos são medidas básicas. No entanto, mesmo que você tenha reparado que seu condomínio está longe do ideal, é possível fazer algumas mudanças a partir de agora. Confira algumas delas.

 

1. Aumentar as áreas verdes e de convívio

Aumentar ou criar áreas verdes e de convívio, proporciona mais qualidade de vida. São espaços para estar em contato com a natureza e aproximar as pessoas. Plantar árvores nativas e flores também é uma oportunidade para integrar as crianças.  Além de purificar e umedecer o ar, áreas verdes atraem pássaros e diminuem a temperatura local.

 

2. Criar uma horta comunitária

As hortas comunitárias fornecem alimento orgânico, possibilitam a integração e a educação alimentar dos pequenos. Apenas alguns metros quadrados são suficientes para iniciar uma horta. Pneus e caixotes de madeira também podem ser aproveitados.

O alimento produzido pode ser dividido entre todos, doado para quem necessita ou vendido para levantar verbas para outros projetos sustentáveis do condomínio.

 

3. Adotar a compostagem

Existem técnicas de decomposição com uso de minhocários e composteiras que reciclam nutrientes. O material pode ser usado como adubo na áreas verdes e na horta.

Resíduos orgânicos do apartamentos, folhas, podas de árvores, plantas e restos de grama podem ser compostados.

 

4. Implantar a coleta seletiva

Isso diminui a quantidade de lixo enviado para aterros sanitários. Todos os moradores precisam fazer a triagem em suas casas para depois encaminhar os resíduos para uma área adequada no condomínio, até que sejam destinados ou coletados por uma cooperativa de reciclagem.

É interessante dispor compartimentos próprios para cada tipo de resíduo sólido – metal, plástico, papel e vidro –, e para outros materiais descartados, como baterias, lixo eletrônico, objetos e roupas.

 

5. Descartar corretamente o óleo

Algumas pessoas simplesmente despejam o óleo de cozinha na pia, o que é muito grave para o meio ambiente. Um litro do líquido pode contaminar até 1 milhão de litros de água. Prejuízos materiais também são causados, como o entupimento dos encanamentos.

O óleo usado deve ser armazenado em garrafas pet e depois encaminhado para empresas especializadas no tratamento e reciclagem desse material.

 

 6. Usar a água conscientemente

A maneira mais simples de fazer isso é através da conscientização. Todos devem fazer sua parte e reduzir, o quanto possível, o tempo de abertura de torneiras e chuveiros.

A instalação de descarga com acionamento duplo e de torneiras com temporizadores – com desligamento automático – são outras medidas eficientes para economizar água.

Outra opção é a captação de água da chuva por cisternas, reutilizável na irrigação das áreas verdes e da horta. Alguns prédios possuem sistema de captação para levar a água direto aos vasos sanitários.

 

7. Privilegiar o uso da luz natural

Clarabóias e telhados de vidro ajudam a privilegiar o uso da luz natural. Mas como os condomínios atuais não são projetados para isso, usar as luzes artificiais com sabedoria é importante para economizar e causar menos danos à natureza.

As lâmpadas de LED são mais duráveis e econômicas, e seu descarte não impacta negativamente como as fluorescentes. Os moradores podem providenciar a instalação dessas em suas casas e o condomínio nas áreas comuns, combinado com o uso de sensores de presença.


 

A palavra-chave é cooperação

A cooperação é fundamental para um condomínio ecológico. Uma dica é sugerir na assembleia, a formação de uma comissão ecológica para planejar e coordenar ações sobre o tema. Esse é um trabalho de longo prazo e que pode ser articulado à adoção de tecnologias.

Com a implantação de práticas e soluções inteligentes, todos ganham. O bem-estar se torna coletivo, há economia e valorização patrimonial. Quel tal morar num lugar assim?

Gostou do conteúdo? Então compartilhe nas suas redes sociais!

Para acessar mais conteúdos sobre a vida em condomínios, acompanhe nossas notícias.

 

Fonte: Kiper

© 2017 Proggetec - Portaria Remota. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Cristiano Lazzarotto.