Clique para ampliarOs condomínios possuem um papel muito importante no combate ao novo coronavírus, o motivo é evidente: mesmo com o isolamento domiciliar e a orientação de não utilizar as áreas comuns  do condomínio as chances de contágio em elevadores, hall de entrada e garagens ainda existem.

Desta forma, síndicos e conselheiros, além de orientar moradores, estão criando alternativas para manter o dia a dia do condomínio em ordem sem perder o foco principal que é a prevenção na luta de combate ao coronavírus.

Uma solução que já é realidade em alguns condomínios são as assembleias virtuais, esta é uma saída inteligente neste momento de combate ao coronavírus, pois evita as aglomerações decorrentes de uma assembleia presencial.

Clique para ampliarExistem alguns passos bem importantes para seguir no início do seu trabalho para ficar mais próximo dos moradores e de suas necessidades.

Esse é um problema bem comum entre os síndicos de primeira viagem: saber quais os primeiros passos a serem dados. Mas, calma, basta um pouco de atenção, interesse e envolvimento.

Por esse motivo preparamos esse conteúdo, para lhe ajudar a entender o que fazer depois de ser escolhido como síndico. Vamos lá!

Clique para ampliar

Apesar das vias internas dos condomínios serem áreas comuns de propriedade dos condôminos e, portanto, privadas e não vias públicas, estão sujeitas ao Código de Trânsito Brasileiro, por expressa previsão de seu artigo 2º, parágrafo único.

Artigo  do CTB: São vias terrestres urbanas e rurais as ruas, as avenidas, os logradouros, os caminhos, as passagens, as estradas e as rodovias, que terão seu uso regulamentado pelo órgão ou entidade com circunscrição sobre elas, de acordo com as peculiaridades locais e as circunstâncias especiais.

Parágrafo Único: Para os efeitos deste Código, são consideradas vias terrestres as praias abertas à circulação pública e as vias internas pertencentes aos condomínios constituídos por unidades autônomas.

Clique para ampliarA pandemia do novo coronavírus alterou a rotina de muitas pessoas, que se viram forçadas a ter que trabalhar de casa e, sempre que possível, respeitar as recomendações de distanciamento social impostas pelas autoridades. E como faz para se concentrar quando tem reforma de condomínios? Existem regras para isso?

Em um cenário em que todos devem redobrar os cuidados, executar obras virou assunto de debate, não apenas dentro dos condomínios como também entre os legisladores de todo o País.

Afinal, em tempos de pandemia, como ficam as reformas de condomínios? É possível trabalhar nas áreas comuns? E como ficam as obras dentro das unidades? O que o síndico pode fazer? Acompanhe nosso post e descubra!

A cada dia que passa fica mais perceptível que a realidade em que estamos passando, por conta da pandemia do novo coronavírus, é algo que mudará o estilo de vida de todos.

Empresas, escolas, restaurantes e demais estabelecimentos estão tendo que se reinventar com esse “novo normal”, se faz necessário um olhar estratégico de mercado para entender como adaptar e colocar em prática as melhores formas de continuar vivendo com segurança.

Com os condomínios não é diferente, pelo contrário, por se tratar de um conjunto residencial, os cuidados para manter a harmonia e a higiene do ambiente aumentam.

A tecnologia está tendo um papel importante neste momento de isolamento social, de lives com os artistas até a reuniões empresariais por videoconferência, o mundo está se adaptando a esse novo condomínio. 

E neste contexto separamos algumas ideias de como a tecnologia pode contribuir na vida dos condomínios neste “novo normal”, vamos lá? 

 

Clique para ampliarO distanciamento social segue sendo a principal medida de prevenção para deter a disseminação do novo coronavírus. Porém, com mais pessoas passando mais tempo em casa, muitas trabalhando ou estudando, é fundamental que todos entendam as principais regras de convivência em condomínio para evitar riscos e problemas neste período.

Até então, grande parte das pessoas não tinha o hábito de ficar a maior parte do dia dentro de casa. As alterações na rotina de todos já duram meses e, em meio a mudanças, incertezas e à crescente ansiedade, o conflito entre vizinhos por conta de barulhos e comportamentos indevidos tende a aumentar.

Por isso, um dos papéis do síndico nesta pandemia é reforçar a importância da harmonia e dos respeito entre os moradores.

Neste post, veja algumas dicas de convivência em condomínios e saiba o que fazer para reduzir conflitos e melhorar o ambiente. Acompanhe!

Clique para ampliarQual síndico já não precisou lidar com conflitos sobre o rateio de condomínio, não é mesmo? Esse é um dos principais desafios da gestão condominial, volta e meia presente na pauta das assembleias. Por isso, é um assunto que deve ser tratado com todo cuidado. Aliás, é interessante contar com uma assessoria jurídica para que você possa ter clareza quando for resolver algo do tema com algum condômino.

Mas neste artigo, nós esperamos esclarecer as questões mais relevantes sobre o rateio das despesas de condomínio. Confira!

 

 

 

Clique para ampliarA manutenção em condomínio é uma das responsabilidades do síndico prevista no artigo 1348 do Código Civil. Viabilizar essa tarefa, é essencial para garantir a segurança condominial e o bom funcionamento de todos os equipamentos, estruturas e sistemas.

Além de promover o bem-estar de condôminos e funcionários, a manutenção predial valoriza o patrimônio. Apesar disso, é uma prática negligenciada por muitos síndicos, o que acarreta vários problemas, inclusive, gastos financeiros excessivos. 

Para que isso não aconteça, é preciso ter um bom plano de manutenção, além de  executá-lo e atualizá-lo corretamente.

Neste artigo, vamos orientá-lo em como elaborar um plano eficiente e apresentar os tipos de manutenção que você pode implementar em seu condomínio. Acompanhe o texto!

Clique para ampliarA mudança é sempre um momento crítico no condomínio, podendo causar muitos problemas se não for realizada de forma planejada e organizada. O novo morador que está chegando ou o condômino antigo que está saindo deve ficar atento para não desrespeitar as regras do empreendimento e não faltar com o respeito para com os demais moradores.

Mas a responsabilidade durante a mudança não é só de quem está entrando ou saindo da unidade. O condomínio também tem diversos deveres, sobretudo no que diz respeito à organização dos horários, o bem estar dos condôminos e a conservação do patrimônio coletivo.

Neste post, falamos sobre a não existência de uma lei de mudança em condomínio, as principais regras e qual é o papel de cada um na hora de receber ou se despedir de um morador. Acompanhe!

Clique para ampliarAssim como o síndico tem direitos e deveres, os moradores também os têm. Quem escolhe morar em um condomínio, seja por segurança ou comodidade, deve seguir uma série de regras e leis que, para muitos, podem ser até mesmo desconhecidas. Por isso, é tão importante falar sobre os direitos e deveres dos condôminos.

O cumprimento a essas normas é o primeiro passo para uma convivência harmoniosa com os outros moradores do empreendimento. E mais do que isso: aqueles que as desrespeitarem estão sujeitos a multas e outras penalidades.

Nesse sentido, os direitos e deveres dos condôminos estão estabelecidos na forma da lei pelo Código Civil de 2002, pela convenção condominial e pelo regimento interno, e, em última instância, pelas decisões deliberadas nas assembleias de condomínio.

Continue acompanhando o artigo e saiba mais!

Clique para ampliarPara conter o avanço do coronavírus, medidas de distanciamento social tiveram que ser adotadas também em áreas condominiais. No entanto, alguns serviços condominiais são essenciais e não podem deixar de ser executados nem mesmo durante a pandemia.

Mesmo com áreas comuns fechadas e/ou a adoção de nova regras de uso desses espaços, ou com a restrição da entrada de entregadores, serviços como limpeza de caixa d’água, dedetização, recarga de extintor, e a sanitização (higienização contra Covid-19) precisam ser mantidos.

Para saber sobre esses serviços condominiais e orientações para realizá-los, acompanhe este texto.

Clique para ampliarMuitas pessoas têm avaliado seu impacto ambiental e tomado medidas para diminuí-lo, tanto que os condomínios com soluções ecológicas têm sido mais procurados. Mas você não precisa se mudar para um condomínio ecológico. É possível criá-lo no prédio que você mora agora. Só é preciso contar com a parceria morador e síndico e tomar pequenas ações.

Neste artigo, conheça 7 formas simples de tornar o condomínio ecológico. Acompanhe!

Página 1 de 2

© 2017 Proggetec - Portaria Remota. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Cristiano Lazzarotto.